• jeffersonwilliammourao@gmail.com
  • (31) 999.730.130 WhatsApp

JEFFERSON WILLIAM

  • Criado em: 18/02/2020
  • 80

Descrição:

“Comparando o homem a um pombo de competição, temos que o ser humano não tem ponto de partida nem ponto de chegada, o pombo com seu voo magistral é todavia, soberbo”.


Jefferson William é um entusiasta columbófilo brasileiro praticante da columbofilia na região metropolitana de Belo Horizonte. 
A columbofilia tem uma relação recíproca. O columbófilo aquele que pratica e exerce o controle do desporto, é apenas a metade, a outra metade são os pombos que voam sobre determinado comando. Não há de se eleger qual é mais privilegiado. Columbófilo e pombo são iguais em grau de importância e compatibilidade, um depende do outro. Ambos têm valores distintos, são independentes entre si, mas para columbofilia existir, um não pode viver sem o outro. 
Assim como são precisos muitos raios para compor a luz do sol, também se faz mister entender as nuances da columbofilia para lidar com sua complexidade.
Jefferson William

“Ser campeão é um sonho de muitos para poucos.”

Vi que a columbofilia era má para os perdedores e resolvi dedicar grande parte da minha atividade columbófila fornecendo exemplares de alta qualidade para criadores que realmente tem o desejo ardente de ser campeões.  Se leres este texto meio a um festival de vitórias as porás de parte com enfado, mas buscarás a sua consolação e entendimento quando as derrotas te fizerem chorar.

Na columbofilia como em todas as competições ou serás vencido ou vencedor. Se vencido esperam-te todas as humilhações, desde o desprezo, zombaria e, até mesmo, a compaixão. Se vencedor todos os triunfos, desde o respeito, ao deixar-se fascinar ou seduzir.

Quem não tem o DESEJO de ser um campeão na columbofilia e sendo columbófilo nasceu para ser tragado pelos concorrentes e será mais desprezado do que uma sarrapilha que o uso condenou.

O sucesso na columbofilia depende da conjugação dos fatores essenciais que se destacam. Primeiro é atribuído ao desejo ardente de ser campeão. Segundo é a racionalidade na condução da colônia. O terceiro é a paixão, o encantamento com aquilo que faz.